Você está aqui » Home » Estética

“Gordura Out” com Criotermólise – O quente e frio que reduz e emagrece

A gordura localizada é o acúmulo de gordura nos adipócitos, células que formam o tecido subcutâneo ou hipoderme.

Dividida em duas camadas (superficial e profunda), além de ser considerada a terceira camada da pele, a hipoderme é quem liga frouxamente a pele aos músculos de modo que eles podem se contrair sem repuxá-la.
A gordura atua como reserva energética, além de ser é responsável pelo isolamento térmico, protegendo a pele e o organismo de traumatismos como um envoltório protetor.
Trata-se de um tecido conjuntivo, ou seja, um tecido de preenchimento que auxilia na fixação dos órgãos.
O tecido gorduroso é um dos últimos a se formar na vida intra-uterina.
Após o nascimento, a criança continua a ganhar peso com facilidade, mas a partir dos seis anos, o equilíbrio aparece a o acúmulo de gordura diminui.
Na puberdade feminina, os hormônios facilitam o aumento de peso e na fase pré-menopausa também, mas a partir dos 80 anos a tendência é a de perder tecido gorduroso.
As mulheres tem mais gordura corporal do que, os homens em qualquer faixa etária, e isto se devem a um metabolismo complexo que sofre a influência do hormônio do crescimento, da insulina, do cortisol, dos hormônios sexuais e tireoidianos.
Existem regiões do corpo que nunca acumulam gordura como pálpebras superiores, região do esterno e virilha. Em outras regiões o acúmulo acontece mais frequentemente e com maior facilidade, como no abdômen, nos flancos, no culote ou no glúteo.
Eliminar a gordura do corpo não é mais uma questão somente de estética. Hoje, há uma preocupação com a saúde, para evitar problemas cardíacos ou mesmo problemas de coluna, o que afeta diretamente a qualidade de vida.
O sedentarismo e os maus hábitos alimentares ainda continuam sendo as principais causas do acúmulo de gordura também podem ser do fator genético.

CRIOTERAPIA

O efeito primário da aplicação do frio no tecido é a diminuição do metabolismo. Estudos específicos definiram a importância que o resfriamento possui ao diminuir as atividades respiratórias das células sem levar a uma depressão de sua função. O estado de hipotermia que o frio induz ao tecido faz com que haja uma diminuição nas necessidades de energia das células, levando a uma menor necessidade de oxigênio pelo tecido.
A resposta da aplicação da crioterapia nos diferentes tecidos compreende a uma quase que instantânea queda da temperatura na pele, com uma redução, quase tão rápida da temperatura da subcutânea superficial e uma redução muito lenta da temperatura muscular, que dependerá da espessura do tecido adiposo, ou seja, quanto maior for a espessura do tecido adiposo maior será o tempo para resfriar o tecido muscular.
Estudos demonstraram que indivíduos com menos de um centímetro de gordura subcutânea apresentam uma redução significativa da temperatura subcutânea e muscular após 10 minutos de aplicação do frio, já em indivíduos com mais de dois centímetros de gordura subcutânea, a
temperatura muscular dificilmente reduz com dez minutos de aplicação do frio (Kitchen, 1998).

A tensão muscular fica elevada por aplicação do frio, antes mesmo da elevação perceptível do tônus muscular.

Efeitos da hipotermia
•       Diminui o metabolismo e o consumo de oxigênio;
•       Previne o local aplicado da hipóxia secundária ou, quando já instalada, ajuda na sua resolução;
•       Diminui e limita o processo inflamatório;
•       Diminui a liberação de histamina controlando a evolução do edema.

Todos os efeitos fisiológicos que o frio promove são indicativos da
sua eficácia como meio terapêutico.

TERMOTERAPIA

A temperatura dos tecidos profundos do corpo permanece praticamente constante, exceto quando o indivíduo contrai alguma doença febril. Já a temperatura cutânea aumenta e diminui com a temperatura do meio ambiente (Guyton, 1992), e essa é a temperatura importante quando nos referimos à capacidade da pele em perder calor para o meio ambiente.
A pele, os tecidos cutâneos e a gordura dos tecidos subcutâneos constituem um isolador térmico para o corpo. A maior parte do calor corporal é produzida nas porções mais profundas do corpo, o isolamento por debaixo da pele constitui um meio efetivo para manter as temperaturas internas normais, apesar de permitir que as temperaturas da pele se aproximem da temperatura do meio ambiente.
Aumentar a temperatura é um artifício utilizado para dilatar os vasos sanguíneos, o que melhora a circulação e, consequentemente, potencializa as trocas metabólicas locais: os nutrientes chegam às células, as toxinas vão embora e a água que estava acumulada entre os
tecidos também. O calor ainda dilata os poros, e isso aumenta a permeabilidade da pele aos cremes com princípios ativos específicos para cada tipo de problema. É comum associar a esses tratamentos produtos à base de gingkobiloba (para o sistema circulatório), centelha-asiática (que favorece a reabsorção de líquidos entre as células) e cafeína (que ajuda a quebrar as gorduras).
Todas essas reações acarretam:
•       Aumento da circulação local;
•       Aumento das trocas metabólicas;
•       Facilita a absorção dos princípios ativos;
•       Adequação metabólica de zonas hipotérmicas.

Os objetivos da termoativação incluem:
•       Relaxamento muscular e de outras estruturas superficiais;
•       Vasodilatação cutânea;
•       Aumento do fluxo sangüíneo superficial;
•       Aumento da permeabilidade capilar superficial;
•       Aumento das reações metabólicas;
•       Sudorese.

CRIOLIPÓLISE

 

 

A Criolipólise é uma técnica que promove resfriamento não-invasivo das células de gordura, induzindo a quebra desses adipócitos sem causar danos aos tecidos adjacentes. Essas células de gordura são muito mais suscetíveis ao frio do que a pele, os músculos e os nervos. Portanto, é um tratamento estético baseado na homeostase, processo onde o organismo, quando exposto ao frio excessivo, promove a queima de lipídeos para restituir a temperatura corporal ou de determinada área.

É um tratamento biologicamente seletivo, pois atinge somente as células de gordura. As principais indicações desta técnica são para redução de medida e gordura localizada. Esse tratamento não é recomendada em casos de obesidade excessiva e generalizada. A terapia
não altera a firmeza dos tecidos, já que provoca no organismo uma reação natural e controlada, ocasionando a redução de perimetria.

CRIOELETROFORESE
A crioeletroforese foi apresentada pela primeira vez em 1995 durante o Congresso Internacional de terapia física em Washington. Esta técnica, criada e aperfeiçoada por um famoso médico italiano, está sendo utilizada recentemente na estética, medicina estética e na medicina do esporte. A termo crioeletroforese é uma nova e original técnica lançada na Europa e que agora chega ao Brasil.
A crioeletroforese, através do frio e de correntes biogalvânicas, consegue veicular até 80% da substância ativa, que não encontrando em seu percurso obstáculos ou superfície que possam retardar o fluxo, alcançam uma penetração mais profunda. De fato, o frio determina uma
vaso constrição que reduz o fluxo sanguíneo na derme, consentindo fazer chegar in loco os princípios ativos que não são capturados pela circulação sanguínea mas que, ao serem depositados nos interstícios celulares, atuam localmente nas partes afetadas.
Essas substâncias ativas dissolvidas na água e congeladas a uma temperatura entre 0 e 2ºgraus negativos transformam-se em cristais de íons- pequenas partículas-aptos a passar a barreira cutânea, mantendo inalterada sua eficácia terapêutica, com a penetração favorecida pela corrente galvânica.
Através deste método, são eliminados os efeitos colaterais característicos da iontoforese convencional: vermelhidões, alteração do pH cutâneo e o efeito barreira.

CRIOTERMÓLISE :O quente e frio que reduz:
Aplicação alternada do frio e calor

É uma técnica eficaz pela alternância de temperatura entre o frio e o calor. O efeito que esta técnica proporciona é um bombeamento na circulação aumentando o fluxo sanguíneo (Guirro, 2002), e consequentemente uma melhor oferta de nutrientes para o tecido aplicado.

A Criotermólise tem como finalidade:
– favorecimento da modelagem corporal;
– aumento da eliminação de líquidos (sudorese);
– aumento do fluxo sanguíneo superficial.
– aumento da circulação local;
– aumento das trocas metabólicas;
– facilita a absorção dos princípios ativos;

CRIO THERMO
Para eliminar as gorduras localizadas de pequenas áreas, a técnica mais indicada é a do Criothermo. Trata-se de um aparelho com cabeçote parecido com o do ultrassom e que, em contato com a pele, é capaz de produzir inversões de temperatura, que variam de -2 até 42ºC em segundos. O cabeçote atinge 15 cm de diâmetro. Depois de aplicar um gel com princípios ativos no local, começam os ciclos de 32 minutos, que alternam quatro minutos de frio e quatro de calor. Além de aumentar a absorção do gel, essas mudanças também mexem com a membrana das células de gordura. Desestabilizadas, elas ficam mais permeáveis.
E é por isso que o Criothermo é excelente para redução de sobrecargas adiposas de pequenas áreas.

 

 

Criolipólise no tratamento da papada

O termo “papada” se refere ao acúmulo de tecido adiposo denominado adiposidade submentoniana. Geralmente além de indicar sobrepeso, ela deforma o contorno do rosto, e é muito desagradável esteticamente. Ela é causada quando a pele e o músculo do pescoço perdem a elasticidade, dando chance para que a gordura se acumule abaixo do
queixo.
É um incômodo estético que aflige homens e mulheres, sendo um dos principais indicadores de idade.
A criolipólise combate a gordura localizada por meio do resfriamento das células de gordura.
Com o frio, os adipócitos são desagregados. Dessa forma, as células de gordura são danificadas e metabolizadas pelo sistema linfático.
É feita com o Criothermo Master que resfria o local onde é aplicado.
O organismo reage com uma resposta inflamatória que leva à eliminação dessas células, determinando uma melhora no contorno facial devido à redução dessa adiposidade submentoniana.
Esse tratamento reduz o volume dessa gordura através da terapia de resfriamento uma vez que as células de gordura são vulneráveis ao frio.
O procedimento é completamente não invasivo. Não causando nem desconforto ao cliente. O resultado já é percebido nas primeiras sessões.
A aplicação é feita em movimentos lentos com um gel sobre a pele para que o cliente suporte melhor o frio. A temperatura deve ficar entre -1 e -2ºC. O tempo de tratamento varia de 20 a 30 minutos. O tratamento deve ser feito uma vez por semana.

Por Estela Cardoso